O amor não pede permissão. Ele invade sem razão.

20 de set de 2011

O amor não pede permissão. Ele simplesmente vem e invade sem razão. Não pede licença porque não é preciso. Chega de repente sem aviso.


O amor é fonte, é vida, é choro é sorriso. O amor é algo que nos desconserta, mas que também nos conserta. Arranca-nos o fôlego, mas de maneira surreal nos devolve o e a esperança.

O amor é uma dádiva, um sentimento que precisa ser vivido, experimentado, desafiado. O amor é livre, o amor não prende, mas liberta. O amor não vê a aparência, mas os olhos e o coração daquele por quem sente.

O amor nasce nos terrenos mais inférteis e improváveis da mente e se enraíza de maneira consistente no coração e na alma de quem sente. O amor não é cego, ele abre os olhos e tudo que antes era um oceano de dúvidas e escuridão, se torna um rio limpo, claro e certo como a gente. Faz-nos enxergar aquilo que precisamos e não somente o que queremos.

O amor é isso! O lindo manifestar do amor humano, que nos ensina realidades divinas.


Share/Bookmark

2 comentários:

thekingpin68 disse... Responder

'Love is a gift, a feeling that must be lived, experienced, challenged. Love is free, love does not hold, but free. Love does not see the appearance, but the eyes and heart that man by whom feel.'

Reasonable philosophy, Dayane.:)

Dayane Mendes Rezador disse... Responder

@thekingpin68

Thank you :)

Postar um comentário